Devocional - Segunda-feira 18/01/2021

Pecado do homem e amor de Deus.



Onde o pecado abundou, a graça abundou muito mais. Romanos 5: 20


Na cruz do Calvário, qualquer pergunta a respeito do bem e do mal é respondida de uma vez por todas.

Foi lá que aconteceu a batalha decisiva entre Satanás e o Senhor. O inimigo fez o máximo para vencer Jesus Cristo. Mas ele sofreu uma derrota amarga. Por Sua morte, o Senhor tirou de Satanás seu poder de morte.

No Calvário, o pecado foi exposto em todo o seu horror e maldade. Ao mesmo tempo, Deus julgou o pecado em Seu Filho de acordo com Sua própria santidade.

Ao crucificar o Filho de Deus, o homem revelou sua rebelião para com seu Criador na maior medida possível. Ainda assim, em Seu amor infinito, Deus entregou à morte Seu Filho unigênito.

No jardim do Getsêmani, Jesus disse aos que tinham vindo para prendê-lo: “Esta é a vossa hora e o poder das trevas” ( Lc 2: 53 ).


Deus realmente permitiu que homens ímpios impusessem as mãos sobre Seu Filho e O pregassem na cruz. Essa foi a hora do homem, quando, sob a orientação de Satanás, toda a sua maldade e depravação vieram à luz.

Mas a hora de Deus também atingiu o Calvário, quando o Senhor Jesus revelou Suas características divinas no brilho de toda a sua glória. Em Sua morte, Ele mostrou quão santo e justo, mas também quão gracioso e misericordioso é Deus. Sua obra de redenção deixou claro que o amor de Deus supera de longe o pecado do homem.

“Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivêssemos” ( 1 João 4: 9 ).


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo