Devocional - Quarta-feira 18/03/2021

Uma grande multidão o seguia, e mulheres que também o pranteavam e lamentavam. Mas Jesus, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim, mas chorai por vós mesmas e por vossos filhos. Lucas 23: 27,28



Jesus Cristo, o Salvador do mundo, estava a caminho do Gólgota, o lugar da execução. Quando Ele nasceu, um anjo anunciou aos pastores: “Eis que vos trago boas novas de grande alegria que será para todos os povos. Porque hoje te nasceu um Salvador na cidade de David'' ( Lucas 2: 10.11 ).

A alegria, porém, deu lugar a lamentações e lamentações, pois as pessoas a quem Ele viera O rejeitaram, e seus líderes não descansariam até que Ele fosse injustamente condenado à morte por crucificação.

Sempre era uma visão dolorosa quando alguém era conduzido ao local da execução. Neste caso, foi por um benfeitor que alegrou inúmeras pessoas com as suas “palavras de graça” e curando-as dos seus sofrimentos. Isso foi o suficiente para partir o coração! Essas mulheres certamente foram honestas em seu luto.

Simpatia, no entanto, não é suficiente. Uma vez confrontados com os sofrimentos de Jesus Cristo, devemos perguntar o que isso significa para nós pessoalmente. Jesus não pensou em si mesmo. Ele sentia por Seu próprio povo, sabendo quais seriam as consequências para ele.

Como isso nos afeta? Basicamente, não somos melhores do que as pessoas que crucificaram Jesus. O tipo de pecado que cometemos não diz respeito a Deus, mas ao fato de pecarmos contra ele. Não simpatia, mas somente arrependimento genuíno, condenando nossa vida até então, abre o caminho para nossa salvação. Cristo não morreu meramente como um mártir; Ele foi julgado por Deus na cruz por nossos pecados.


Leitura de hoje: Deuteronômio 9: 1-17 · Mateus 23: 23-39

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo